BEM (vem) VINDO





ENTRE SEM BATER, TIRE OS SAPATOS E TRAGA ALGUMAS MOEDAS



quarta-feira, 30 de março de 2011

MITO

do gesto cria palavra, do vazio o palco, ela não pode sentir porque é tudo assim peça encenada, ensaio entregue. o que era não parecia ser e as lágrimas lavavam a maquiagem bem feita. mas doer não doía. e se doesse seria retrato na parede, imagem no espelho. diva cálida. deusa muda.

julianne moore - pirelli 2011

2 comentários:

  1. Nossa, que máscara, que teatro, que marionete!

    http://escrevoparaviver.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá adorei teu blog, lindo mesmo. Parabéns. Fique a vontade para fazer uma visitinha ao nosso “Alto-falante” e seja mais um membro. Você é nosso convidado especial. http://poetarenatodouglas.blogspot.com/.
    Um grande abraço!

    Renato Douglas!

    ResponderExcluir

obrigada por me ler. SEJA SEMPRE.